Notícias

Pesquisa revela atuação do setor no Brasil

TIC Provedores 2014 mostra que maior crescimento foi a partir de 2006

A Associação Nacional para Inclusão Digital (Anid) tem o maior percentual de empresas provedoras de internet associados no Nordeste. Trinta por cento dos associados da Anid estão localizados nesta região e 24% são das outras regiões do Brasil (CTIC.br/2014).

A Anid é a quarta associação de provedores de Internet com maior número de associados no Brasil. Dos 2138 provedores que declararam prover serviços de Internet, 10% afirmaram ser associados no Brasil à Anid.

A pesquisa foi realizada pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br), um departamento do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), que implementa as decisões e projetos do Comitê Gestor da Internet do Brasil (CGI.br).Os dados foram coletados entre setembro de 2013 e outubro de 2014.

O maior número de provedores está no Sudeste, 43%, seguido da Região Sul, 31%. No Norte estão apenas 9% dos provedores e no Centro-Oeste, 15%. A Paraíba conta com 15% de provedores dentre os 462 provedores que declararam prover serviços de Internet e atuar na região Nordeste.

Grande parte destes provedorres começaram a oferecer serviços de internet no Brasil a partir de 2006. Daquele ano até 2010, foi o período em que 44% das empresas foram abertas oferecendo serviços de acesso à Interent, provimento de e-mail, serviço de infraestrutura como hosting ou co-location, provimento de hospedagem, provimento de telefonia sobre IP, provimento de homepages, serviços de segurança, provimento de conteúdo e provimento de aplicações (ASP).

A atuação da Anid junto aos provedores locais de Internet, desde 2007, criou impacto na oferta de conexão em regiões onde esse serviço, até então, não existia. Isso foi realizado através da organização de grupos para compra coletiva de contratação de trânsito de Internet. Com isso, o poder de negociação junto às grandes operadoras foi maior.

Foram construídas redes próprias para transportar a capacidade contratada até localidades onde os pequenos provedores e outros empreendedores atendem às demandas das comunidades. Essa ação chegou em cerca de 580 municípios, em 16 estados brasileiros.

Além disso, foi feita a capacitação de pequenos provedores através de cursos para instalação e uso da fibra ótica, para efetivar a conexão de Internet com o usuário final. Provocamos mudança no paradigma tecnológico, pois esta conexão, chamada por “última milha”, era usualmente feita via rádio e sofria sérias interferências, comprometendo o serviço.

Acesse aqui a pesquisa completa