Notícias

Inauguração

Ministro Kassab estará presente na inauguração da obra doada à AEB por Percival Henriques

Nesta terça-feira, 20 de março, será realizada a solenidade de inauguração da escultura do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas doada pelo paraibano e autor da obra Percival Henriques. O evento será na área externa, na frente da Agência Espacial Brasileira (AEB) em Brasília, às 10h. A inauguração será feita pelo presidente da AEB, José Raimundo Braga Coelho, com a presença do ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab.

O presidente da Associação Nacional para Inclusão Digital e Conselheiro do Comitê Gestor da Internet no Brasil, Percival Henriques, também é artista plástico cujo período de produção mais significativa aconteceu dos 18 aos 24 anos de idade, quando produziu esculturas, óleo sobre tela, gravuras (xilogravuras e serigrafias ) e fotografias.

Aos 54 anos, físico e Bacharel em Direito, Percival voltar com expressão artística e se dedica a esculturas em metal. 

A escultura doada para a AEB ganhou o nome de SGDC Stella Primum. É composta por dois domos geodésicos sobrepostos construídos com tubos de aço carbono galvanizados. Entre os dois domos foi inserido uma réplica do satélite geoestacionário (SGDC), em escala de 1:100. Esta réplica do satélite foi construída com chapa de aço carbono e, depois de pronta, preparada com jateamento de micro esferas de aço para receber nanopartículas de zinco aceleradas à grande velocidade sobre o aço carbono, por meio de uma técnica chamada arc spray. O objetivo deste processo é evitar a corrosão da peça por ferrugem. 

O peso total da escultura é de 122 quilos, tem um metro e sessenta centímetros de altura e três metros e vinte centímetros de diâmetro. Entre a concepção, cálculos matemáticos e execução foram gastos dois meses.

“A concepção da obra, além da representação literal da terra, da abóboda celeste e do próprio satélite é que ela seja um tributo à matemática e, sobretudo, aos homens e mulheres por trás de cada equação que dá suporte objetivo a manutenção em órbita e operação do satélite”, declarou Percival Henriques.