Projetos que a ANID desenvolve

Projetos

  • JUNTS

    O nome é sugestivo: Junts! “Junte-se”, “juntos”, é uma convite para interagir na Internet sem deixar de estar com outras pessoas.

    O Junts é uma experiência de Internet Livre, construída com recursos próprios, e dá acesso gratuito à Internet em pontos coletivos onde as pessoas se encontram: praças, bibliotecas públicas, etc. São mais de 30 locais em funcionamento na Paraíba, da Capital ao interior.

    Esse esforço promove a inclusão digital para jovens e adultos e leva oportunidade de emprego, geração de renda, construção do conhecimento, educação e melhoria da qualidade de vida para as pessoas. Isso é o que acontece quando as pessoas têm acesso à informação e encontram novidades pela Internet, podem fazer cursos à distância, pesquisas, ou trocar ideias com outras pessoas.

    Para acessar, basta fazer um cadastro. É gratuito e garante a segurança do serviço.

    O cadastro em um ponto do JUNTS garante acesso em todos os outros. Existem vários instalados em toda a Paraíba. No JUNTS as pessoas podem acessar a Internet se restrição alguma, com acesso a tudo o que a rede mundial de computadores oferece.

    Sem a intenção de concorrer com provedores de acesso, esta é uma forma de democratizar a informação.

    Metade da população brasileira não acessou a Internet em 2013 e 69,5 milhões de pessoas nunca usaram a Internet (Pnad/2013-Cetic.br). Entre os motivos relacionados pela pesquisa, 26% dessas pessoas não acessaram por falta de condições de pagar. É para diminuir esse número que a Anid desenvolve o Junts.

  • Letramento Digital

    Os moradores de uma pequena comunidade de pescadores no litoral Norte da Paraíba, num lugar difícil de chegar porque as estradas são ruins, têm acesso gratuito à Internet de boa qualidade. Eles podem estar distantes da cidade mais próxima, mas estão dentro da comunidade virtual global.

    A chegada da Internet mudou a rotina dos moradores, mas não foi só isso. O pessoal começou a fazer parte do Letramento Digital e estão aprendendo a usar a Internet para buscar conhecimento.

    A coordenadora e professora Thaís Garcia coordena o projeto Pescadores Online e passou a ensinar a população a buscar na Internet soluções para os problemas da comunidade:

    - Como separar o lixo seco e deixar a comunidade mais limpa?

    - O que fazer para ganhar algum dinheiro?

    - Quais receitas usar com os pescados da região?

    - Como fazer uma pesquisa pra um trabalho da escola?

    Aos poucos, cada um aprendia que na Internet estariam algumas destas respostas.

    Com força de vontade e trabalho, as melhorias começaram a aparecer. As esposas dos pescadores incrementaram o artesanato e buscaram canais de promição venda dos produtos pela Internet. As crianças, hoje, têm noções avançadas de inglês.

    E os moradores, de maneira geral, têm acesso às políticas públicas, à informação, aos seus direitos.

    O Letramento Digital, significa levar o internauta a descobrir na rede as ferramentas que lhe abrem as portas das políticas públicas que lhe garantem o acesso à cidadania. E também ensina como o trabalhador autônomo, o artesão, o pescador, podem criar oportunidades de negócios pela internet. Além disso, os estudantes aprendem a pesquisar e adquirir mais conhecimento.

    Em Barra de Mamanguape moram 68 famílias.

    Até 2011 a melhor forma que os moradores tinham para se comunicar com pessoas de outras cidades era por meio de um orelhão (telefone público). Pouca gente tinha telefone celular e o sinal das operadoras era (e continua sendo) muito ruim.

    A comunidade pertence ao município de Mamanguape e está no coração da Área de Proteção Ambiental Barra de Mamanguape, um lugar lindo, naturalmente privilegiado.

    O Letramento Digital começou a ser aplicado nesta comunidade há três anos, através do projeto Pescadores Online, coordenado por Thaís Garcia. Em torno de 40 crianças têm aulas de Inglês, aulas complementares à escola, com o uso da tecnologia e da Internet. A região conta com acesso gratuito à Internet pelo projeto Junts.

    As evoluções entre os moradores são visíveis, como, por exemplo na mudança da seleção dos resíduos sólidos e o controle do lixo. Os grupos de mulheres artesãs encontram na rede um jeito de divulgar seus produtos e incrementar a produção. As crianças expandem seus conhecimentos com orientação direcionada conforme a faixa etária. E as pessoas podem se comunicar com parentes que estão distantes, pelas redes sociais.

    Através do letramento digital, Thaís Garcia, ensina crianças de

    Barra de Mamanguape (PB) como buscar informações na Internet, inclusive para plantar
    (Foto: Assuero Lima)

  • Fibra óptica em domicílio

    Projeto Nacional de Fibra Óptica em Domicílio é uma iniciativa da Associação Nacional para Inclusão Digital (Anid). Em todo o Brasil, o projeto oferece incentivos a provedores associados para levar a Internet a domicílios em mais de 400 municípios.

    Uma das iniciativas do projeto em João Pessoa (PB) é a instalação de fibra óptica em residências que fazem parte do programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal.

    O secretário de Telecomunicações do Ministério das Comunicações, Maximiliano Martinhão, visitou alguns pontos onde o projeto foi implantando em João Pessoa e ressaltou os importantes benefícios que o projeto traz à população, que passa a contar com o acesso à Internet em alta velocidade, contribuindo de forma significativa na inclusão digital dos brasileiros.

    - Esta iniciativa vem ao encontro das metas do Programa Nacional de Banda Larga, de massificar o acesso à Internet em todo o Brasil, principalmente nas regiões mais desassistidas, como é o caso do Nordeste – disse Martinhão. 

    Recentemente, a Zona Leste de São Paulo passou a ser atendida e conta com acesso à Internet rápida através da tecnologia de fibra óptica. Cerca de 400 mil domicílios poderão ter acesso à Internet de qualidade com baixo custo. A maior capital brasileira, bem como outras cidades, vive um paradoxo no acesso à Internet. Ao mesmo tempo em que o 4G está acessível em alguns bairros, a periferia não tem acesso à tecnologia. Essa é uma situação que vem sendo revertida através do Projeto Nacional de Fibra Óptica.

  • Rádios Comunitárias

    A Internet é meio e ferramenta fundamental para as rádios comunitárias.

    A Anid estabelece parcerias disponibilizando banda larga para os veículos: a rádio cede o local onde a Anid instala a a torrre de transmissão, tem o benefício de alocar nessa torre sua própria antena e usufrui de um link dedicado de Internet.

    Rádios Comunitárias parceiras:

    MUNICÍPIO

    RÁDIO

    Mari

    Araçá FM 105.9

    Rio Tinto

    Interação FM 98.5

    Mamanguape

    Litoral Norte FM 104.9

    Capim

    Capim FM 107.9

    Serraria

    Rádio Princesa do Brejo FM 87.9

    Serra Branca

    Rádio Solidariedade FM 87.9

    Cabaceiras

    Cabaceiras FM 87.9


     

    Rádio Web

    Porto do Capim 

    Porto do Capim